Origem

 
No dia 6 de janeiro de 2021, milhares de apoiadores do então presidente dos EUA, Donald Trump, marcharam em direção ao prédio do Capitólio, que é o coração do poder legislativo estadunidense, abrigando o Senado e a Câmara dos Representantes. Porém, o que mais chamou a atenção das pessoas foi a invasão que os seguidores de Trump promoveram para dentro do prédio onde, na mesma hora, os senadores ratificavam a vitória do presidente eleito em novembro de 2020, o democrata Joe Biden. Além da incursão histórica em direção ao interior do Capitólio ser algo inédito na história do país, houveram outras “peculiaridades” que as pessoas, principalmente nas redes sociais, comentaram por meio de memes. Entre eles, estava a constatação da semelhança do edifício norte-americano com a mansão do cantor Gusttavo Lima, que inclusive tuitou brincando com o ocorrido.
 


 
Chamou atenção a aparição de um homem vestido de “viking” na manifestação pró-Trump, bem como a fragilidade e a condescendência com que a segurança do prédio lidou com os eleitores do 46º presidente da história dos EUA, enquanto que em manifestações do movimento “Black Lives Matter” o policiamento de locais conhecidos na capital estadunidense, como o Lincoln Memorial, foi extremamente ostensivo.
 

Difusão e repercussão

 
Grande parte dos memes relacionados ao evento foi compartilhada e popularizada pelo Twitter onde a #InvasãoDeMemes teve muita relevância. As pessoas frisavam nos memes a presença do “viking” no ato organizado por apoiadores de Trump e suas semelhanças com elementos tanto da cultura pop, como o grupo “Village People”, quanto da cultura brasileira, comparando a aparência do homem vestido de “viking” com um folião do bloco de carnaval carioca “Boi Tolo”. Além do Twitter, foram encontrados diversos stickers (figurinhas de WhatsApp) e vídeos no TikTok.
 
No Brasil, os memes foram destaque em veículos como Ig e UOL. O assunto foi comentado em todo o globo, repercutido pelo TRT World, canal de notícias estatal turco transmitido em inglês.
 

 

Gêneros e formatos

Houveram muitos memes que falavam sobre cada particularidade do ato em apoio a Donald Trump que envolveram o “viking” que esteve presente no protesto, a apatia da polícia em conter os manifestantes, em comparação com a truculência com que trataram os membros do “Black Lives Matter”, além de comparações com elementos da cultura pop.
 
Os que foram mais reproduzidos foram os memes do tipo “Reaction Face” ou “Reaction GIF”, que consistem em colocar uma imagem – no caso do “Reaction GIF”, são usados GIFs – de alguém/alguma coisa para demonstrar a sua reação àquele acontecimento; e o “Exploitable”, formato no qual as imagens daquele momento são utilizadas para se referir a outra situação completamente diferente, como a comparação do “viking” com o bloco “Boi Tolo”, possível por meio de montagens em sites ou softwares como Photoshop.
 

Exemplos notáveis

 
mateuspaulo
0 publicações
0 comentários
Nome
Mateus Paulo

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *