tumblr_mca31bOREh1qehy9jo1_500

Nem todos os memes seguem o formato de vídeo ou imagem, muitos podem ser uma frase ou até mesmo uma só palavra. Quando os memes desse estilo surgem, geralmente, eles vêm acompanhados por uma hashtag já que, devido ao seu grande uso dentro de diversas redes sociais, as hashtags permitem às pessoas uma forma de filtragem daquele assunto.

Nesse contexto, um dos memes que é um claro exemplo de como essas frases ou palavras seguidas de hashtags podem fazer sucesso é o #chatiado (ou #chatiada), que conseguiu romper as barreiras e não ser mais apenas um meme de internet, mas também parte do nosso vocabulário popular.

Esse meme vem seguindo os usuários desde a época do extinto site Orkut e se alastrou definitivamente no ano de 2012. Na época do Orkut, a palavra sempre vinha seguida do emotion u_u e deriva do tiopês – uma forma de escrita da internet existente desde 2005. A palavra começou a ser usada em comunidades do site e expressava sempre o sentimento de decepção.

Porém, esse meme só ganhou a repercussão que tem hoje em dia, depois de que vários perfis do Twitter, sejam esses de zoeira, sub-celebridades ou famosos, onde começou a espalhar a ideia de diversas formas diferentes durante o ano de 2012, ou seja, esse não foi um meme que surgiu de um único ato impactante, ele foi se fixando na cabeça das pessoas através do constante uso de terceiros.

Após o boom desse meme, o Facebook aderiu as hashtags o que proporcionou que as pessoas levassem um antigo hábito do Twitter para essa outra rede social: o hábito de expressar seus sentimentos ou pensamentos e colocar uma hashtag no fim do post que expresse todo o conteúdo ali descrito, foi então que o #chatiado invadiu os posts virou uma expressão popular e cotidiana no nosso dia a dia.

Outra forma bem comum de nós vermos esse meme sendo usado é acompanhado de image macros onde o personagem demonstra descontentamento e, por fim, no nosso diálogo cotidiano, onde ele ganhou espaço nas conversas sempre com o mesmo uso.

Assim como afirma o autor Henry Jenkins, a questão central das práticas midiáticas nas quais as pessoas se engajam atualmente, liga-se menos a influência das mídias do que com o modo como elas estão sendo usadas. Ou seja, as redes sociais são um ambiente potencialmente livre e aberto para re-apropriações que transcedem o sentido que tinham inicialmente. O exemplo do #chatiado é apenas um dos muitos exemplos onde podemos ver um meme que, de tão re-apropriado através de multiplicadores dentro de uma sociedade participativa, com o tempo, fez com que os usuários estivessem constantemente produzindo conteúdo e relacionando esse e outros memes na vida, mesmo offline.

1 comentários

  1. Renato Maia disse:

    primeiro

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *