Em discursos políticos, gafes ou frases rocambolescas são comumente destacadas como expressões memoráveis. E, como se sabe, ocupar um cargo político pressupõe a realização de um alto número de discursos durante a carreira. Assim, são inúmeros os exemplos de frases que se convertem em memes, mesmo antes da internet. Uma citação bastante conhecida, por exemplo, geralmente atribuída a Jânio Quadros, é “fi-lo porque qui-lo”, originalmente o título de uma resenha sobre um livro de contos do ex-presidente, que, acabou se convertendo (à revelia do próprio) em frase autobiográfica que reflete bem o estilo pomposo de seus discursos. Entre os exemplos mais recentes, os discursos da presidenta Dilma Rousseff têm sido pródigos em gerar memes de internet. A saudação à mandioca, a lembrança das mulheres sapiens, e tantas outras colocações que, inadvertidamente, geram humor são convertidas por internautas em hashtags, image macros e muito mais. No dia 28 de julho de 2015, Dilma esteve mais uma vez em evidência por causa de um deslize, as metas de seu governo.

A origem da meta

Na apresentação dos Planos e Metas do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec Jovem Aprendiz), ao tentar explicar o aumento de oportunidades oferecidas pelo governo, a presidenta tentou explicar que o programa não é regido por metas, e afirmou que: “Não vamos colocar uma meta: deixaremos em aberto e quando atingirmos ela, nós dobraremos a meta.” Foi o bastante para que o meme que ficou conhecido como “A meta” começasse a circular intensamente nas mídias sociais.

Definir “metas” é uma prática comum em planos estratégicos governamentais. As “metas” foram propagandeadas por Juscelino Kubitschek, durante seu mandato, com o conjunto de medidas que o presidente tornou conhecidas como o seu Plano de Metas ‐ de onde, inclusive, surgiu o slogan que se tornou bastante famoso: “50 anos em 5”. O presidente gostava de dizer que criou o tal projeto na banheira do cunhado, quando pensava sobre como popularizar o plano econômico que iria lançar. O plano consistia em ampliar os investimentos em um polinômio (transporte, energia, indústria, construção etc.), mas Juscelino achava a palavra “polinômio” muito rebuscada, e, por isso, criou a ideia de um Plano de Metas, que, apesar de redundante, acabou se tornando uma jogada inteligente e de impacto. Ele não podia prever, no entanto, que Dilma iria tornar a expressão verdadeiramente um meme.

Disseminação

A maioria dos memes gerados a partir da frase da presidenta Dilma Rousseff repercurtiu no Twitter, dando origens a uma série de image macros que rapidamente se espalharam também pelo Facebook e pelo Instagram. Eles se relacionavam com assuntos que ocorreram logo depois do discurso e que também viraram memes instantâneos e de rápida propagação, tais como as provocações entre as duas lutadoras de MMA, a norte-americana Ronda Rousey e a brasileira Cris Cyborg.

Outras variações do meme ligavam a palavra “meta” com a série de ficção televisiva Breaking Bad ‐ fazendo uma analogia ao plot da série que conta a história de dois fabricantes de metanfetamina.

Mas o meme não se resumiu aos image macros. “A Meta” também se vulgarizou como um snowclone, isto é, um tipo de meme caracterizado por um padrão formular que se repete e cria, assim, um efeito cômico adaptável a diferentes cenários. Assim, é comum, a partir da frase de Dilma Rousseff, encontrarmos outras variantes sobre o padrão “Não vamos colocar X, vamos deixar X aberto/a, e quando atingirmos X, dobramos X.”

2 comentários

  1. Kruger disse:

    Tem muito meme da Dilma perdendo destaque nesse site…………

  2. Renato Maia disse:

    segundo

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *