Rage Comics

rage

Origem e Difusão

Os Rage Comics são as imagens que as pessoas mais facilmente associam à memes.

 

Esse estilo de meme de rostos pálidos e de desenhos com traços simples trazem sempre expressões faciais exageradas.

 

Em uma extensa lista de Rage Faces podemos encontrar o Derp e a Derpina, o Like a Boss, Trollface, Ok Guy, Forever Alone, Me Gusta, entre muitos outros.

 

Normalmente esse estilo de meme é usado quando, ao contar uma história, a pessoa utiliza os Rage Comics em seguida para ilustrar uma reação ou um sentimento, causando com isso, o efeito humorístico baseado nas expressões e reações de situações cotidianas.

 

Os Rage Comics surgiram aproximadamente em 2008 no 4chan, com o “FFFUUUU”. Inicialmente os quadrinhos eram usados para ilustrar circuntâncias que levavam alguém a ficar com raiva, porém em 2009, muitos outros do mesmo estilo surgiram, nem todos relacionados ao sentimento de raiva, fazendo com que vários sites fossem criados para que qualquer pessoa fosse capaz de desenvolver sua história de situações cotidianas com os personagens.

 

Linda Borzei afirma que, os memes que se referem à situações cotidianas podem se configurar como nova expressão jornalística, pois eles estabelecem um compartilhamento de sensações, motivações e piadas internas entendidas por “todos”

 

Discussão Pública do Meme

Hoje, os Rage Comics já são parte da cultura de internet, podem ser vistos em diversas situações diferentes e nós quase não pensamos no quão importantes eles foram para o desenvolvimento da identidade dos memes que temos atualmente já que, para a pesquisadora Nancy Baym, o humor tem um papel fundamental na construção de identidade em meios virtuais e o humor coletivo, como nesse caso, passa a ideia de construção de solidariedade dentro das comunidades virtuais.

 

A maioria dos memes que atingem a cultura popular estão ligados de alguma forma ao humor e nenhum exemplo é tão claro quando os Rage Comics em relação a isso.

2 comentários

  1. wertyuio disse:

    pau no c* do primeiro

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *