Queria estar morta

Em junho de 2014, em uma entrevista para Tim Jonze, do jornal inglês The Guardian, Lana Del Rey declarou que “queria estar morta” exatamente como seus ídolos, já falecidos, Kurt Cobain e Amy Winehouse – ambos mortos aos 27 anos. Ninguém sabe ao certo se ela realmente gostaria de morrer ou se seria apenas um erro de interpretação por parte do jornalista. O que se sabe é que Lana aparentemente se arrependeu de ter feito essa declaração e decidiu responsabilizar o jornalista pelo equívoco – além de se confundir com o nome dele em alguns de seus “tweets”.

Lanatweets

Querendo ou não morrer, o fato é que Lana gerou uma grande movimentação nas redes sociais, em especial, no Twitter. Depois da popularização de sua peculiar forma de se expressar, “querer morrer” nunca foi tão comum e pode ser por qualquer coisa ou situação: uma conversa desconfortável, um dia tedioso procrastinando em casa, uma fuga mental inapropriada em aulas massantes. Inclusive, o Buzzfeed até listou alguns “tweets” com o meme.

A frase virou meme por aqui alguns meses depois da entrevista. A curiosa expressão se apresenta em diversos canais, páginas no Facebook e menções no Twitter com imagens de toda a sorte compartilhadas diariamente – desde umas manipuladas com pano de prato, bordados, golfinhos, a Beyoncé, a Ana Maria Braga, até o Papa são usados para reproduzir esse sentimento “down” que se delineia em uma espécie de morte online instantânea.

Ainda na onda da morte, o meme anterior acabou por gerar outro, o #QUERIAESTARVIVAPORQUEMORTAJÁESTOU, em resposta a sua origem (mas, talvez, este último já esteja um pouco ultrapassado). Porém, a metafórica tendência, quase suicida, ainda rola por aí! E se você ainda não quis “estar morta”, vai querer estar algum dia.

1 comentários

  1. Renato Maia disse:

    primeiro

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *