Ice Bucket Challenge

Origem

O Desafio do Balde de Gelo, como é conhecido no Brasil, se popularizou em julho de 2014 e se manteve com grande visibilidade até o fim do mesmo ano.

Na brincadeira, as pessoas desafiam umas às outras a virar um balde de água e gelo sob suas cabeças. A competição é feita para que, aquele que não aceitar participar da dinâmica, tenha que doar cem dólares para instituições que apóiem o tratamento de pacientes diagnosticados com ELA (Esclerose Lateral Amiotrófica) e patrocinem as pesquisas a respeito da doença; enquanto que, os que aceitarem, possam doar qualquer valor acima de dez dólares.

A brincadeira viralizou-se rapidamente e teria, supostamente, começado em Boston e ganhado o mundo. O principal motivo para o seu sucesso teria ocorrido pelo fato do ex-jogador de baseball Pete Frates ter sido diagnosticado com ELA em 2012.

O auge da campanha se deu quando o fundador do Facebook, Mark Zuckeberg, desafiou o criador da Microsoft, Bill Gates – que aceitou a brincadeira sem pensar duas vezes. Segundo pesquisas feitas pelo Facebook, a campanha gerou mais de 1,2 milhão de vídeos na rede social.

Gênero & Formatos

O #IceBucketChallenge parece ser apenas uma brincadeira onde as pessoas se desafiam a tomar banho de água gelada, mas, na verdade, essa é uma campanha que aumentou consideravelmente a atenção para a Associação ALS, que luta contra a Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).

A ALS Association é uma organização sem fins lucrativos que arrecada fundos para financiar pesquisas e ajudar aos pacientes portadores da doença em questão.

No desafio, a pessoa que toma o banho gelado tem que publicar a cena nas redes sociais e usar as hashtags #IceBucketChallenge ou #DesafiodoBaldedeGelo (no caso brasileiro). A ideia é de que a brincadeira ajude a divulgar a causa e de que a pessoa que a aceitou faça sua doação.

A campanha teve tanto sucesso que a Associação conseguiu arrecadar US$ 100 milhões no período de viralização do desafio. A ideia do balde de gelo é um símbolo que retrata a sensação de quem é diagnosticado com ELA, que é uma doença rara e ainda sem cura.
Esse estilo de campanha se enquadra no que Limor Shifman chama de “memes como forma de persuasão ou defesa política”, ou seja, esse tipo de ação tem capacidade persuasiva, já que se acredita que os usuários de sites de redes sociais valorizam bastante o que as pessoas do seu círculo pessoal compartilham e apóiam.

Difusão e Repercussão

A Esclerose Laretal Amiotrófica é uma doença degenerativa do sistema nervoso. Com o passar do tempo, ela gera paralisia motora progressiva e irreversível. Até o momento, não se conhece a causa específica dessa doença, porém seus principais sintomas são fraqueza muscular, seguida de deterioração dos músculos, além de tremores, cãibras, reflexos exaltados, atrofia, espasticidade e diminuição da sensibilidade.

A presidente da ALS Association declarou ao público sua gratidão para com a campanha. Pode-se dizer que o principal motivo de tanto sucesso foi o interesse de vários famosos a participar da brincadeira: nomes como George W. Bush, Justin Timberlake, Steven Spielberg, Lady Gaga, Britney Spears, Ben Affleck, Oprah Winfrey, Robert Downey Jr., Demi Lovato, Shakira, Neymar e Cristiano Ronaldo estão entre os que tiveram os vídeos mais popularizados.

Graças ao #IceBucketChallenge, no Brasil, algumas instituições de apoio aos pacientes e às pesquisas foram surpreendidas com a procura a respeito de mais informações sobre a doença e também receberam doações. Porém, por aqui, alguns famosos simplesmente esqueceram de citar o propósito real da campanha e entraram na brincadeira apenas por diversão e para desafiar aos amigos.

Para doar para a ABrELA ou para o Instituto Paulo Gontijo, referências de pesquisa sobre a ELA no Brasil, basta acessar http://www.abrela.org.br/ ou http://www.ipg.org.br/ipg/faca-uma-doacao/lan/br.

Exemplos Notáveis

1 comentários

  1. Renato Maia disse:

    primeiro

Comentários

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *